terça-feira, 27 de outubro de 2009

ATLANTIS - 1º SEGUNDO "EM ÓRBITA"


EPIC - 5.9967 - edição portuguesa (1969)

Atlantis - To Susan On The West Coast Waiting

O lado B, "To Susan", é bem superior a "Atlantis", uma espécie de "Strangers In The Night", mais sofisticado.

Como quer que seja, "Atlantis" foi eleita pelo programa "Em Órbita" a melhor canção de 1969, com 148 pontos.

Atlantis é um acto de conquista.

Cruzada maravilhosa empreendida por novos guerreiros que partem na certeza antecipada de uma vitória final, empolgante e decisiva.

É um ritual de mágico encantamento, que nos transporta até às diluídas fronteiras de um nobre e novo país, onde tudo se sublima em atmosferas de transbordante paixão.

Fascinante sussurro de um Deus perfeito que, mordido pelo fogo de uma eterna insatisfação, se projecta ao assalto de metas sempre mais longíquas.

Subtil murmúrio que em brusca e prodigiosa metamorfose se transforma no grito visceral e puro de ummnovo Sol a nascer.

Atlantis é todo o fascínio de uma Nova e Desconhecida Aventura.

Atlantis é um dos mais belos momentos de toda a história da música popular.

Atlantis é a melhor gravação de 1969.

in "Em Órbita"

Cortesia de Vítor Soares

6 comentários:

bissaide disse...

São duas músicas excelentes, embora bem diversas de facto - agora comparar "Atlantis" com "Strangers in the Night"...

Já agora, é também interessante a versão de "Atlantis" pelo brasileiro Ronnie Von, no seu peculiar LP "A Misteriosa Luta do Reino de Parassempre Contra o Império de Nuncamais".

Yardbird disse...

Também concordo com essas considerações, Luís.
O lado B é melhor que o A, o tal Atlantis. Ainda há dias o JC (Gato Maltês), que no Em Órbita (aí está a prova que afinal sempre há coisas a criticar, mesmo naquelas de que gostámos e nos deixaram gratas recordações) no ano do lançamento, consideraram essa música como a melhor do ano, e de como agora, a mesma é pouco menos que intragável.

P.S.- O que não consigo desvendar, é porque será que na parte inferior do título Atlantis, os desenhos tomem a forma de uma cruz gamada...

JC disse...

Obrigado pela citação, Yardbird.Devo dizer, Bissaide, que, como diria um tal de La Palisse, salvaguardas as diferenças ele há mtªs semelhanças.
Quanto à cruz gamada,ela era utilizada em mtªs culturas antigas e não só, particularmente germânicas e na sua mitologia, mtº antes do nazismo. Hoje em dia, contudo, é a ele associada. Há milhões de textos sobre o assunto, mas o esoterismo não é a minha especialidade nem perco mtº tempo c/ o assunto. Sendo a Atlãntida uma entidade mitológica, a "coisa" deve vir daí. Acho... e espero.
JC

Rato disse...

Este belo EP fazia parte do meu espólio perdido. E sempre preferi também a "Susan", uma das canções mais subversivas da época, digo eu. Isto por ser uma balada anti-vietname, provando que a denúncia do conflito não tinha de ser feita em alta-voz, mas assim, suave e candidamente. Um dos pontos altos da carreira do Donovan.

Queirosiano disse...

Excelente comparação. Infelizmente esta música - das mais pretensiosas de Donovan - coincidiu com o início de uma fase esotérica (de algumas pessoas) do "Em Órbita", o que teve repercussões em opções subsequentes do programa (entre outras coisas, o "Em Órbita" começou a massacrar-nos com o Donovan).
Vi um espectáculo dele em Londres por essa altura (fase hiper-acústica) e o homem tinha-se também em grande conta.

Karocha disse...

E lá vem o Donovan!!!